PT | EN

Empresas Rendimento:

Mercado & Retrospectiva do Dólar: Comportamento e influências no último mês

31 de agosto de 2023

No último mês acompanhamos a retomada da subida do dólar em relação ao real, saindo do patamar de R$4,70 e voltando para a casa dos R$4,90.

Conheça os principais fatores que afetaram a variação cambial:

Pressão dos títulos do Tesouro Americano (Treasuries) e rebaixamento da nota de crédito de bancos americanos: Nos EUA temos dois pontos de atenção: 1. O rendimento das Treasuries, títulos do Tesouro americano, subiu para o nível mais alto desde 2011, impulsionado pela economia americana e uma oferta crescente de dívida pelo governo. 2. A agência Moody’s rebaixou a nota de crédito de 10 bancos regionais e atribuiu uma perspectiva negativa para outros 11. Essas revisões das notas se deu pelos maiores custos e menores lucros apresentados versus o esperado pelo mercado nos balanços corporativos do 2º trimestre. Dados fracos da economia chinesa e desconfiança com a aprovação da agenda econômica doméstica: a balança comercial de julho registrou uma queda de quase 15% nas exportações e 13% nas importações, em relação ao mesmo período no ano anterior. Esses números podem refletir um enfraquecimento na atividade econômica da segunda maior economia do mundo. Novas decisões do Copom e cortes na taxa de juros no Brasil: A ata do Copom afirma que é unanimidade entre os membros do comitê a expectativa por novos cortes de 0,50 ponto percentual nas próximas reuniões. Por outro lado, com a Selic em trajetória de queda, a aplicação em títulos no Brasil fica menos atrativa para o mercado internacional, o que afeta o fluxo de entrada de dólares no Brasil. A leitura do mercado foi de que, com juros menores no Brasil e maiores nos EUA, o diferencial de juros brasileiro está diminuindo. Variações nos fluxos Cambiais e Comerciais + Reservas Internacionais: Na semana passada, o fluxo cambial mostrou saldo líquido negativo de -US$ 1,87 bilhão, somatório de um déficit no fluxo comercial de -US$ 1,15 bilhão e no fluxo financeiro de -US$ 721,24 milhões. Sobre as reservas internacionais, houve um recuo nessa semana passando para U$ 341,8 bilhões, vindo de U$ 342,3 bilhões da semana anterior. Desse modo, até o momento, o fluxo cambial em 2023 apresenta resultado positivo de +US$ 19,45 bilhões. Por fim, o fluxo comercial contribui com superávit de +US$ 36,74 bilhões, enquanto o fluxo financeiro está com saída líquida de -US$ 17,29 bilhões.