CDB ou poupança? Veja qual tem o melhor rendimento

17/12/2020
CDB ou poupança? Veja qual tem o melhor rendimento

Guardar dinheiro está diretamente ligado às metas que colocamos em nossas vidas. Seja para construir uma reserva financeira ou comprar algo, poupar é o melhor caminho para viabilizar escolhas, conquistas e sonhos.

E essa jornada costuma oferecer várias possibilidades. Ou seja, você tem à disposição várias modalidades de investimento. Cada uma possui características específicas e conhecê-las é essencial para fazer as melhores escolhas.

Neste artigo, mostraremos as diferenças entre duas das opções mais conhecidas no mercado: CDB e poupança. Veja a seguir:

  • O que é poupança, suas vantagens e desvantagens
  • Conheça o CDB
  • Qual é a opção mais rentável

Imagem de um regador saindo moedas em uma planta de dinheiro para simbolizar o CDB.
Investir é uma maneira de viabilizar escolhas, conquistas e sonhos. Foto: Getty Images.

É fundamental escolher uma opção rentável

Como comentamos, há várias formas de lidar com as economias. E tais modalidades têm especificidades distintas, como rendimento, riscos e liquidez, entre outras. O método mais conhecido é, sem dúvidas, a poupança.

Isso porque há uma história bem longa atrelada a ela. Para se ter uma ideia, a opção foi criada em 1861 por Dom Pedro II.

Seu objetivo foi permitir que a população guardasse dinheiro com um rendimento de 6% ao ano. Tratava-se de um jeito simples de migrar os montantes para os bancos, em vez de deixá-los guardados em casa.

Sua configuração permanece semelhante até hoje. Para começar a utilizar, por exemplo, é necessário abrir uma conta-poupança. A diferença em relação à conta-corrente é justamente o rendimento. Todos os meses, a instituição financeira calcula uma espécie de juros sobre o valor que você tem.

Os bancos fazem essa conta utilizando como referência a taxa básica de juros (Selic), que, em outubro de 2020, estava em 2% ao ano. Mensalmente, de acordo com o Banco Central, o rendimento da poupança tem sido de 0,11% a 0,12%.

Imagem de uma calculadora e a mão de uma mulher fazendo conta.
O rendimento da poupança tem sido baixo, com 0,12% ao mês. Foto: Getty Images.

Rendimento baixo

Aliás, é justamente tal característica que tem feito muitos investidores fugirem das cadernetas de poupança. Por exemplo, se você começa o ano com R$ 2 mil investidos, no final possuirá R$ 2.028. Bem pouco, não é?

No entanto, é preciso ter em mente que o rendimento pode variar de acordo com as oscilações do índice. De acordo com o Banco Central, a modalidade rende 70% da taxa Selic ao ano (se ela estiver até 8,5%). Caso ultrapasse, o rendimento vai a 0,5% ao mês, totalizando 6,17% ao ano.

Ainda segundo o BC, a remuneração dos depósitos “é calculada sobre o menor saldo de cada rendimento”.

Características da poupança

É possível realizar saques sempre que necessário. Porém, o rendimento pode ser prejudicado se isso ocorrer em intervalos menores do que 30 dias. Ou seja, caso faça uma retirada 45 dias depois da aplicação, por exemplo, o rendimento desses 15 dias (além dos 30) não será calculado.

Imagem de um homem contando dinheiro.
Na poupança, os rendimentos estão condicionados a datas e prazos das retiradas. Foto: Getty Images.

Sendo assim, você estará sempre condicionado a prazos e datas. Daí a importância de se organizar para não ter problemas nesse sentido.

Além disso, é essencial saber que a modalidade não possui desconto de imposto de renda sobre os rendimentos.

Movimentações de mercado

Desde 2019, devido ao cenário econômico, o Brasil entrou para o time das nações com juros negativos, o que afeta diretamente as modalidades de investimento ligadas à taxa Selic.

A crise ocasionada pela pandemia deve, inclusive, agravar essa situação. Ou seja, a poupança tem sido uma das opções de investimento mais abaladas com essas oscilações. Quanto menor a taxa, menos rendimentos.

CDB: por que utilizar?

Sigla de Certificado de Depósito Bancário, o CDB é um caminho bastante prático e seguro para quem deseja economizar. Isso porque ele se enquadra como renda fixa, com baixíssimo risco para os investidores.

Imagem de uma pessoa colocando uma moeda em um cofre de porquinho.
CDB é uma ótima opção para economizar dinheiro. Foto: Getty Images

Para começar a usar, você deve recorrer a um banco e, ao contratar o serviço, é como se “emprestasse” o montante à instituição financeira escolhida. Ela, consequentemente, irá pagar um juros por esse valor. Tais quantias são arrecadadas justamente para a concessão de novos empréstimos.

Esse rendimento é chamado de remuneração. Claro que tais movimentações ocorrem de modo seguro, com todas as garantias necessárias, o que faz da modalidade uma opção interessante para quem deseja migrar da poupança para algo mais rentável.

VEJA MAIS: Renda fixa: saiba qual percentual deve ter na carteira de investimentos

Opção rentável

A principal diferença entre o CDB e a poupança é justamente o rendimento.

Há duas possibilidades dentro da modalidade: a pós-fixada e a pré-fixada. Na primeira, a rentabilidade é atrelada ao CDI (Certificado Depósito Interbancário) que, como o próprio nome já diz, são os empréstimos bancários de curto prazo realizados por instituições financeiras.

Imagem de um gráfico com a seta subindo para simbolizar como o rendimento do CDB é maior que da poupança.
O rendimento do CDB é maior do que da poupança. Foto: Getty Images.

A remuneração oferecida pelos bancos pode ser inferior ou superior a 100% do CDI (tal indicador varia de acordo com diferentes fatores, como o porte das instituições financeiras, por exemplo). Você saberá tal percentual no momento da contratação.

Na pré-fixada, há uma taxa fixa de rendimento já indicada ao fechar o serviço, sem ligação ao CDI. Ou seja, você saberá ao certo qual o valor que terá disponível no prazo estabelecido.

Principais características do CDB

  • Rentabilidade: rende mais do que a poupança, podendo ultrapassar o dobro, e com a mesma comodidade;
  • Segurança: o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) se responsabiliza por investimentos de até R$ 250 mil por pessoa;
  • Liquidez diária: há tipos de CDB que possibilitam as retiradas antes do prazo de vencimento.

Como começar

Procurar uma instituição bancária sólida, com experiência de mercado, é essencial para fazer bons negócios. Portanto, é o primeiro passo dessa jornada.

O Banco Rendimento, por exemplo, possui um longo período de atuação no segmento. São mais de 25 anos trabalhando o produto, com as garantias que os investidores precisam. Todas as aplicações são registradas na B3, bolsa de valores brasileira.

Imagem de um homem e uma mulher segurando o símbolo do cifrão nas mãos.
Banco Rendimento oferece 3 modalidades de CDB. Foto: Getty Images.

A rentabilidade, por sua vez, é obtida com total segurança, tranquilidade e solidez. São oferecidas atualmente três modalidades.

A primeira é o CDB Rendimento Pré-Fixado, no qual a rentabilidade é determinada no ato da emissão. Há também o CDB Rendimento Pós-Fixado, vinculado a um percentual do CDI, fixado no momento da negociação.

Por fim, você tem acesso ao CDB Rendimento Janela, com o qual é possível efetuar resgates em datas pré-definidas.

Conclusão

Investir é sempre o melhor caminho para a realização de algum objetivo ou sonho. No entanto, é essencial escolher uma modalidade capaz de multiplicar e dar garantias ao montante aplicado.

Duas das mais conhecidas são o CDB e a poupança. Enquanto a primeira opção tem alcançado índices positivos, a segunda, por estar atrelada à Selic, não aparece na lista das mais rentáveis.

Nós, do Banco Rendimento, podemos te ajudar nessa jornada. Nossa sólida experiência nesse tipo de investimento, o CDB, é o que faz a diferença. Conte conosco para aplicar seu dinheiro de maneira mais assertiva.

Até a próxima!