Portal Segs – Fitch eleva os ratings do Banco Rendimento, no longo prazo para A e no curto prazo para F1

09/01/2020

A elevação da classificação do Banco Rendimento reflete a maturação do perfil de negócios da instituição, com base na estabilidade e na resiliência de atuação ao longo dos ciclos, de acordo com a Fitch Ratings

São Paulo, novembro de 2019 – A agência de classificação de risco de crédito, Fitch Ratings, elevou a avaliação do Banco Rendimento S.A. para operações nacionais. No Longo Prazo, o rating passou de A- (A menos) para A, e no Curto Prazo o índice evoluiu de F2 para F1, com a perspectiva do Rating Nacional estável no Longo Prazo. O resultado da avaliação foi influenciado pela conjunção positiva de um consistente modelo de negócios e uma alta rentabilidade, acima da média do mercado, segundo apontou o relatório.

Entre os fundamentos elencados para a elevação dos ratings pela Fitch estão a maturação do perfil de negócios do Rendimento, “com base na estabilidade e na resiliência de sua atuação ao longo dos ciclos”, e o seu modelo de negócios, que conjuga um mix de receitas distribuído entre prestação de serviços, operações de câmbio e receitas de crédito. “Essa avaliação demonstra o quanto temos acertado, focando em uma estratégia segura, um alto investimento em tecnologia e excelência no relacionamento com os clientes ao longo dos anos”, argumenta Abramo Douek, CEO do Grupo Rendimento.

Outro fator importante, de acordo com a avaliação da Fitch, está na melhoria dos indicadores de capitalização do banco advindos do aporte de capital de BRL45 milhões realizado pelos acionistas. Outros componentes considerados são a qualidade de ativos, sua capitalização, a solidez da instituição e ainda “os riscos operacionais e de imagem moderados, algo inerente ao mercado de câmbio”, aponta o relatório.

Em termos administrativos, o documento da agência atesta que o Rendimento “mantém boa qualidade de gestão e tem sido diligente nos objetivos e na execução de suas estratégias”. Não por acaso a instituição financeira cresceu 20,8% no primeiro semestre de 2019 (ante 17,7% em 2018) ao contabilizar 60% de suas receitas com a prestação de serviços de câmbio e os restantes 40% com sua carteira de crédito.

O Fitch classifica a captação de recursos como “estável e com bom casamento de prazos entre ativos e passivos”. Não por acaso, nos indicadores do Núcleo de Capital Fitch (Fitch Core Capital – FCC), o Rendimento permanece próximo dos padrões dos índices regulatórios (15,3% em junho de 2019), graças ao “baixo volume de intangíveis e à ausência de instrumentos híbridos”.

Os dados do Fitch Ratings foram publicados com o atendimento ao artigo 16 da Instrução CVM nº 521/12 e as informações utilizadas na análise são provenientes do Banco Rendimento S.A. para conhecer a íntegra do relatório acesse em https://www.fitchratings.com/site/pr/10101478

Sobre o Banco Rendimento

O Banco Rendimento, com mais de 25 anos de experiência, concentra seus esforços junto ao mercado de câmbio, investimentos e crédito para o segmento de Middle Market, que compreende empresas com faturamento anual entre 20 e 500 milhões de reais. A companhia oferece soluções rápidas, tanto para aplicações financeiras como para empréstimos de curto ou longo prazos.

A instituição financeira é uma das maiores fornecedoras de papel-moeda para o mercado brasileiro, importando e exportando uma grande variedade de moedas, entre elas, libra, dólar e euro. Além disso, oferece aos seus clientes serviços completos de câmbio financeiro, como transferências internacionais, remessas, cartões pré-pagos internacionais, entre outros.

Em 2016, o Banco Rendimento foi avaliado positivamente pela agência de classificação de risco Fitch Ratings, aumentando seu rating nacional de longo prazo em novembro de 2019 para A e o de curto prazo em F1.

Fonte: https://www.segs.com.br/seguros/203265-fitch-eleva-os-ratings-do-banco-rendimento-no-longo-prazo-para-a-e-no-curto-prazo-para-f1